10 Passos Para Educar Financeiramente seus Filhos

Tempo de leitura: 5 minutos

Rodrigo Miranda
10 Passos Para Educar Financeiramente seus Filhos

Segue Alguns conselhos de especialistas sobre como agir com os seus filhos para que eles aprendam a ganhar, administrar, guardar e doar dinheiro:

#1 Trabalho Edifica o Homem – as crianças devem trabalhar, especialmente quando não precisam. É muito frequente que os pais façam demais por elas, e isso estimula maus hábitos. A ideia aqui é incentivar pequenas tarefas que geram responsabilidades. O foco é o seu(ua) filho(a) visualizar o trabalho com algo bom e benéfico para o seu futuro. Criar tarefas lúdicas é um bom exemplo para fortalecer crenças positivas e valores saudáveis.

#2 Princípio de Cooperação – não é recomendável que os pais paguem por serviços prestados, em casa, pelos filhos. Eles devem aprender que o trabalho doméstico é um prazer, um ato de participação na família e na comunidade. O trabalho remunerado fica numa categoria diferente. Percebo muitos pais comprando seus filhos para fazerem algumas tarefas em casa, como: lavar louça, varrer o quintal, dar banho no cachorro ou gato etc.

 
#3 O Valor do Dinheiro – Os pais devem evitar dar dinheiro picado aos filhos cada vez que eles forem sair ou precisarem comprar alguma coisa. A criança deve aprender desde cedo que dinheiro tem um valor e que não jorra de uma fonte inesgotável. No passo 4 temos um bom exemplo para desenvolvermos uma mentalidade de investidor.

#4 Educação Financeira – dar mesada, apenas, é insuficiente. Os pais devem estimular os filhos a fazerem uma relação de suas despesas, um cálculo de quanto precisam ganhar, e esse material deve ser submetido a sua aprovação. Depois, então, o valor da mesada deve ser estabelecido e ficará por conta da criança administrar seu dinheiro. Vale apena educar os filhos desde criança para enxergarem a importância de administrar o dinheiro. Pois o importante nem sempre é o que ganhamos por mês, mas como administramos o que ganhamos. Você conhece pessoas que ganham bem e só andam endividados?

#5 Mentalidade de Investidor – abrir uma caderneta de poupança para a criança é uma forma de ensinar-lhe o princípio da acumulação. Assim como abrir uma conta-corrente para o adolescente o obriga a desenvolver o sentido de controle. Desenvolver uma mentalidade de poupador e investidor desde cedo é um dos princípios dos milionários ao redor do mundo. Quanto mais cedo seus filhos entenderem este princípio melhor para eles e para a futura geração de sua família.

#6 Responsabilidade e o Poder do Grupo – as crianças devem participar das reuniões familiares sobre o orçamento da casa, e suas ideias sobre despesas devem ser ouvidas. Assim elas aprenderão a pensar de forma responsável. Criar o senso de responsabilidade é uma estratégia extremamente relevante. Pois a criança sente-se integrada e valorizada. E em sua mente é criada crença fortalecedoras sobre o dinheiro e compartilhamento. Quando ficarem adultas e casarem viverão uma vida mais flexível junto com os seus cônjuges e com menos problemas financeiros.

#7 Contribuição Social – os pais devem orientar os filhos para analisar seus projetos de compras – de um novo tênis ou um videogame de última geração – sob três aspectos: o preço, o efeito sobre sua poupança e para quem doar o tênis ou o brinquedo que será descartado. Essa é uma importante lição sobre valores: o do dinheiro e a responsabilidade social.

#8 Assumindo Responsabilidade – estudar é uma obrigação ser um aluno nota 10 não. Pais que premiam filhos que não ficam de recuperação ou não repetem o ano estão estimulando a acomodação. Se o seu filho tirar boas notas ele deve ser reconhecido e elogiado. Se em algum momento estiver passando por dificuldade nos estudos é importante conversar de uma forma aberta sem cobrança para entender os motivos e demonstrar estar presente para apoiá-lo e superar as dificuldades. É importante sempre dar a vara de pescar e não o peixe. Ele precisa saber que é capaz e pode superar qualquer obstáculo em sua vida. E todas as dificuldades fazem parte do processo de aprendizado.

#9 Mentalidade Empreendedora – as crianças devem ser encorajadas a buscar as próprias oportunidades de ganhar dinheiro. Com isso desenvolverão espírito empreendedor, tão valorizado nos tempos atuais. A educação começa desde cedo. Dos 0 a 12 anos, principalmente 0 a 8 anos, o cérebro da criança (HD) é virgem, por isso vale apena estimular pensamentos e experiência positivas na criança. Saiba a ideia é criar atividades simples e não explorar seus filhos com atividades pesadas.

Uma criança até os 14 anos o ideal é pensar apenas nos estudos. A própria lei Brasileira incentiva o trabalho através do jovem aprendiz a partir dos 14 anos. Exemplo: no início você pode sugerir algumas formas de empreendedorismo, como se oferecer para passear com o cachorro do vizinho ou montar um espetáculo de mágica para festas infantis. Por que não transformar uma brincadeira em uma atividade remunerada? O foco é o simbolismo, pois criará crenças empreendedoras na mente de seus filhos.

#10 Paixão + Talento = Prosperidade – hoje, profissão que dá dinheiro é aquela em que a pessoa sobressai porque gosta do que faz e porque tem habilidades que se destacam. É muito importante não podar os sonhos de seus filhos. Vejo muitos pais criando grandes expectativas para que os seus filhos seguem os seus sonhos de pais e não os seus sonhos de filhos. Conheço profissionais extremamente frustados em seus trabalhos porque escolheram a profissão por causa dos pais, mídia ou porque estava na moda e dava muito dinheiro. Portanto, a criança deve ser orientada para se desenvolver nas áreas em que demonstra maior interesse e aptidão, seja balé, teatro, medicina, engenharia, administração etc.

 

E ai o que achou? Deixe seu comentário. Sua opinião é muito importante para mim.

Deus te abençoe e ilumine!

6 Comentários


  1. Muito bom o conteúdo sobre educação financeira para os filhos. São conceitos e atitudes desde pequeno que torna o empreendedor imparável. Parabéns Coach Rodrigo. Vou compartilhar. Um abraço.

    Responder

    1. Gratidão Andréia. Muito obrigado pelo feedback. Sucesso em sua jornada!

      Responder

  2. Ola Rodrigo!
    Achei fantástico eu vejo claramente o quanto isso impacta na vida adulta!
    Dar a importância certa para cada coisa e processar de forma emocionalmente positiva o trabalho e a capacidade desde de a Infância !
    Gratidão por compartilhar!!!

    Responder

    1. Gratidão Bernadeti. Que bom que gostou. Muita paz e prosperidade para ti!

      Responder

  3. Gostei muito! Concordo totalmente e lamento esse assunto não ser pauta obrigatória de estudo nas escolas. Mas acredito muito no poder das redes, e um trabalho como o seu reflete grandemente para a educação do nosso país.
    Beijo grande!

    Responder

    1. Gratidão Liliana. Graças a Deus estamos começando a ver uma luz no fim do túnel. Pois saiu uma lei federal informando que as escolas terão que incluir o tema educação financeira em sua grande curricular. inclusive em poa já foi sancionada uma lei para as escolas incluírem o tema. Projeto de Lei do Legislativo – PLL 177/13 obriga escolas de ensino fundamental e médio da rede pública municipal de ensino a incluírem atividades e conteúdos relativos à educação financeira em seu plano curricular.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *